África, Caribe e Pacífico recebem mais ajuda da União Europeia

A União Européia forneceu 9 milhões de euros adicionais para apoiar o trabalho da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) na promoção de práticas agrícolas sustentáveis na África, no Caribe e no Pacífico. O acordo se concentra no combate à degradação e desertificação da terra e procura aumentar a segurança alimentar e a resiliência às mudanças climáticas. Em particular, o financiamento têm como objetivo impulsionar os esforços dos países nas regiões-alvo para trazer mudanças sustentáveis ​​nas políticas e práticas agrícolas. 

“Nosso apoio a mais biodiversidade e alimentos de melhor qualidade é decisivo para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. A agricultura e a biodiversidade estão fortemente interligadas. O setor agrícola depende fortemente da biodiversidade, mas também é um contribuinte para a biodiversidade. Este novo programa ajudará a superar as barreiras socioeconômicas e políticas que impedem países e agricultores de adotarem práticas agrícolas baseadas em ecossistemas e abordagens a biodiversidade e ao manejo químico “, disse o diretor-geral da FAO, Qu Dongyu.

Qu Dongyu e o comissário europeu para a Cooperação e Desenvolvimento Internacional, Neven Mimica, assinaram nesta segunda-feira (14) o acordo que permitirá o financiamento para apoiar o trabalho da agência da ONU.

“A natureza está ameaçada, o mundo precisa de práticas agrícolas mais sustentáveis ​​que aumentem a segurança alimentar, a redução da pobreza e o crescimento econômico, preservando os preciosos recursos naturais do planeta. Estou muito feliz por anunciar esse financiamento adicional apenas dois dias antes Dia Mundial da Alimentação. É mais um exemplo do firme compromisso da UE em trabalhar com os países parceiros ACP nestes mesmos objetivos “, declarou o comissário Mimica.

ACP é composto por 79 países da África, do Caribe e do Pacífico, com todos eles, exceto Cuba, signatários do Acordo de Cotonu, também conhecido como “Acordo de Parceria ACP-EC”, que os vincula à União Europeia.

“Congratulo-me com este novo projeto, que é de grande importância para os países ACP. Conservar a biodiversidade e reduzir a pressão sobre os recursos naturais e ecossistemas, além de combater as mudanças climáticas, nunca foi tão importante para nossas dietas, nossa saúde, nosso planeta e nossa sobrevivência “, declarou Patrick I. Gomes, secretário geral do Grupo de Estados ACP.

O contrato atual faz parte de um programa mais amplo de apoio da UE que promove a sustentabilidade ambiental nos países da África, Caribe e Pacífico, por meio de uma governança ambiental mais forte e pela implementação de acordos ambientais multilaterais como a Convenção sobre Diversidade Biológica.

As parcerias com o setor privado e a sociedade civil pretendem atuar dentro do acordo como direcionadores para sistemas agrícolas mais sustentáveis. Além disso,o acordo também prevê que as instituições regionais e nacionais possam fazer mais para projetar e implementar políticas agrícolas que melhoram a biodiversidade, mantendo ao mesmo tempo a produção e a lucratividade.

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

O futuro das relações entre Brasil e África é promissor, segundo Hamilton Mourão

"As relações com a África são e serão prioritárias para o Brasil e o para os brasileiros", declarou o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a cerimônia de abertura do Fórum Brasil África 2019.