África: Nova fronteira para os negócios internacionais

Nos últimos 15 anos, diversos países do continente africano passaram a experimentar crescimento econômico sem precedentes. Em 2015, a África alcançou taxa média de crescimento de 3,5% do PIB. A perspectiva é de que essa média alcance 4% em 2016 e 5% em 2017. Esses progressos resultam de um conjunto de avanços em diversos países: superação de conflitos internos; reconciliação nacional; fortalecimento de instituições democráticas; e boa governança, com a consequente adoção de políticas econômicas responsáveis, orientadas para a exploração racional dos imensos recursos do continente – que detém 60% do total mundial das terras aráveis ainda não cultivadas, imensas reservas de minerais preciosos e abundantes recursos energéticos. A eleição do Dr. Akinwumi Adesina como Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento, em 2015, pode ser vista como corolário desse novo panorama e, ao mesmo tempo, fator de impulso para o aprofundamento desse ciclo virtuoso. Desde o início de sua gestão, o BAD passou a perseguir de forma mais direta o desenvolvimento econômico e social dos povos africanos, como pode ser evidenciado pela estratégia adotada pela instituição para os próximos dez anos, a qual contempla cinco prioridades (“High 5s”): iluminar, alimentar, industrializar e integrar a África e melhorar a qualidade de vida das suas populações. A despeito desse panorama favorável, poucas empresas brasileiras têm prospectado negócios na África, em contraste com a atuação de empresários de outros países. Os fóruns realizados anualmente pelo Instituto Brasil-África constituem oportunidade singular para transformar esse panorama. Esses eventos contam com a participação de altas autoridades do Brasil e de países e instituições intergovernamentais da África, bem como de empresários brasileiros e africanos e propiciam oportunidades de novos negócios. Ao promover sua realização, o Instituto Brasil-África reafirma seu pioneirismo e descortino e mostra-se coerente com sua missão, visão e objetivos.

 

 

As opiniões expressadas pelo autor não refletem necessariamente pontos de vista do Ministério das Relações Exteriores ou de outras entidades do Governo brasileiro.

Top 5

A Liderança para a “África que Queremos”

À medida que o continente africano foi-se desenvolvendo e os africanos  ganhando mais conhecimentos em várias áreas do saber, estes rapidamente...

Grande Museu Egípcio abrirá as portas em 2020

O maior museu arqueológico do mundo deve abrir as portas no primeiro semestre de 2020. O Grande Museu Egípicio (GME) foi anunciado pela primeira vez em 1992 e estava inicialmente programado para abrir em 2012. A novidade deve reanimar uma indústria do turismo atingida por instabilidade política e ataques terroristas e que respondeu por 12% do PIB egípcio em 2018 segundo o World Travel & Tourism Council (WTTC).

A voz feminista negra de Stephanie Ribeiro

Stephanie Ribeiro era ainda estudante de arquitetura quando seus textos começaram a viralizar na internet. Em uma universidade com maioria branca ela achou no feminismo negro e na escrita um lugar de acolhimento e luta. Logo várias mulheres se identificaram com o que Stephanie tinha a dizer e a escritora se tornou uma das vozes mais expressivas do ativismo brasileiro.

Nelson Mandela em 18 frases marcantes

18 de julho é o dia mundial de Nelson Mandela. Se estivesse vivo, o ex-presidente da África do Sul e ícone...

Nollywood: Luz, câmera, e muita ação!

Primeiro lugar na quantidade de filmes e o terceiro maior faturamento do mundo, Nollywood, como é chamada a indústria cinematográfica da Nigéria, emprega mais...