Angola traça plano com ONU para investimento estrangeiro na agricultura

Agricultura é a área preferencial para investimentos segundo documento apresentado pelas Nações Unidas. A Revisão da Política de Investimentos foi apresentado na Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e Desenvolvimento, e destacou oportunidades e desafios do setor. Na apresentação do documento, os ministros angolanos do Comércio e da Economia e Planeamento discutiram com representantes da Unctad reformas para aumentar o investimento estrangeiro diversificar a economia do país.

A agência diz que o governo estabeleceu um programa ambicioso para reformar o ambiente de negócios e investimentos, mas identifica algumas lacunas e problemas no seu documento. De acordo com a Unctad, essas lacunas afetam a capacidade do país de aproveitar ao máximo a sua localização estratégica, os recursos naturais abundantes e o acesso preferencial a mercados externos.

Em nota, o ministro angolano do Comércio, Joffre Van-Dúnem, disse que o documento “é essencial para melhorar o ambiente de negócios, inclusive do agronegócio.”

Desenvolvimento Sustentável e Segurança Alimentar

A Revisão da Política de Investimentos dedica atenção especial ao investimento no agronegócio e à sua contribuição para o desenvolvimento sustentável.  O documento exige medidas concretas para promover o investimento responsável e promover modos de produção agrícola inclusivos. 

Huambo, Angola Foto: FAO

As recomendações pretendem encontrar um equilíbrio entre os objetivos de segurança alimentar e desenvolvimento das exportações, melhorar o acesso à terra e à infraestrutura e promover o empreendedorismo e o desenvolvimento de capacidades.

Investimento Estrangeiro

Nos anos após o fim do conflito civil, o Investimento Direto Estrangeiro (IDE) atingiu valores significativos no país, mas baixou recentemente e está concentrado no setor da extração de matérias primas. Segundo a Unctad, um portfólio de investimento “mais diversificado e melhor alinhado às necessidades de Angola pode contribuir bastante para o alcance dos objetivos de desenvolvimento nacional.”

O ministro da Economia e Planeamento, Manuel Neto da Costa, disse que “o IDE costumava ser negligenciado” e  que isso “criou um ciclo negativo para a economia”. Segundo o representante, “muitos dos problemas enfrentados” pelo país são abordados pelo documento.  

Nos últimos 20 anos, a Unctad apoiou mais de 50 países em desenvolvimento e economias em transição, realizando análises de políticas de investimento e prestando apoio técnico para implementar as recomendações.

A  Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e Desenvolvimento, acontece de 9 a 13 de setembro em Genebra, Suiça. Com o tema Comércio e Mudança Climática: Trazendo o foco para SIDS (Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento na sigla em inglês)

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

O futuro das relações entre Brasil e África é promissor, segundo Hamilton Mourão

"As relações com a África são e serão prioritárias para o Brasil e o para os brasileiros", declarou o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a cerimônia de abertura do Fórum Brasil África 2019.