Aumento de 50% na demanda de energia pode expandir quatro vezes a economia africana, diz AIE

ODS 7

A África tem potencial para expandir a economia continental quatro vezes, com as demandas de energia expandindo apenas 50%, de acordo com um novo relatório divulgado pela Agência Internacional de Energia (AIE) durante o segundo Fórum Africano de Investimento em Joanesburgo, na África do Sul.

O Africa Energy Outlook 2019 revelou que as perspectivas futuras de energia do continente parecem brilhantes, mas somente se os governos puderem mudar para mais fontes de energia renováveis. O relatório diz que há três fatores que determinarão o futuro consumo de energia do continente: o crescimento populacional, o rápido aumento da urbanização e industrialização.

Pela primeira vez, a AIE realizou uma modelagem detalhada do mix de energia para 11 países da África Subsaariana: Angola, África do Sul, República Democrática do Congo, Quênia, Tanzânia, Etiópia, Costa do Marfim, Moçambique, Nigéria e Senegal .O mix de energia necessário para a África será muito diferente do atual, com os países se afastando da biomassa e dos combustíveis fósseis para fontes renováveis ​​de energia.

Cerca de 600 milhões de africanos não têm acesso à eletricidade, embora isso tenha melhorado desde 2013, segundo a análise da AIE. “Para começar a resolver o problema, temos que perceber a escala da emergência. E esses dados são extremamente importantes. Você precisa definir o problema antes que possa resolvê-lo”, diz Wale Shonibare, vice-presidente interino de energia, energia, clima e crescimento verde do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

“A África também precisa aumentar radicalmente seu investimento em geração de energia dos atuais US $ 30 bilhões para US $ 120 bilhões até 2040, para alcançar o acesso universal à eletricidade”, revela Tae-Yoon Kim, analista da AIE.

Se os países do continente não mudarem as políticas atuais de uso de energia, a África não alcançará a meta de eletricidade universal do BAD até 2030.

Mas com políticas aprimoradas, de acordo com a AIE, a África pode ver a economia continental expandir quatro vezes com a demanda de energia correspondente 50% maior que a demanda atual.

O Quênia é um país em que o acesso universal à eletricidade pode se tornar realidade até 2022 se continuar com sua política atual que trouxe um grande número de renováveis ​​para o mix de energia. A Etiópia pode seguir o exemplo no final da próxima década.

+ O segundo Fórum Africano de Investimento está sendo realizado esta semana pelo Banco Africano de Desenvolvimento.

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

O futuro das relações entre Brasil e África é promissor, segundo Hamilton Mourão

"As relações com a África são e serão prioritárias para o Brasil e o para os brasileiros", declarou o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a cerimônia de abertura do Fórum Brasil África 2019.