ATLANTICO

content@atlanticoonline.com

Pesquisa aponta soluções para recuperação de vegetação nativa no Brasil

O Brasil pode recuperar 12 milhões de hectares de vegetação nativa em todo o seu território até o ano de 2030. A estimativa consta em um relatório elaborado por um grupo de 45 pesquisadores de 25 instituições brasileiros e apresentado na última semana no Rio de Janeiro. A produção científica joga uma nova luz às recentes discussões sobre as relações entre o desmatamento florestal e a produção agrícola. “As questões ambientais (conservação e restauração ecológica) e a produção agrícola são interdependentes e podem caminhar juntas, sem prejuízo para nenhum dos lados. Pelo contrário, ela só traz benefícios diretos, como a disponibilização de polinizadores para as culturas agrícolas, a conservação da água e do solo e, principalmente, a possibilidade de certificação ambiental da produção, permitindo agregar valor”, explica o pesquisador Ricardo Ribeiro Rodrigues, professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (USP) e um dos autores do documento.

Empreendedorismo feminino na África recebe apoio de Macron e G7

O presidente francês Emmanuel Macron e os líderes do G7 aprovaram um pacote totalizando US $ 251 milhões em apoio ao Banco Africano de Desenvolvimento. Os recursos serão direcionados para a Iniciativa AFAWA (Ação Financeira Afirmativa do Banco para Mulheres na África) que têm como objetivo apoiar mulheres empresárias na África.

O feijão brasileiro conquista o Egito

O Egito foi o país africano que mais importou o feijão cultivado no Brasil nos sete primeiros meses deste ano. Dados do Ministério da Economia apontam que o país comprou US$ 2,8 milhões de janeiro a julho. O número é mais de seis vezes que o registrado no ano passado, quando os egípcios importaram apenas US$ 442,5 mil em feijão brasileiro.

Luanda: Festival de cinema vai homenagear Agostinho Neto

Médico, escritor e político, António Agostinho Neto foi uma das principais figuras de Angola no século XX. A história dele será contada para uma nova geração em diversas obras audiovisuais que serão produzidas e exibidas durante a primeira edição do FestiFilme Internacional - Memórias de Angola.

Combate à desnutrição é tema de exposição em Moçambique

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA), documenta através de fotografias as atividades sobre a desnutrição implementadas nos distritos de Monapo e Ilha de Moçambique.

Ministros Africanos endossam plano para combater doenças transmitidas por vetores

Com os países da África sofrendo aumento de casos e mortes devido à malária e outras doenças transmitidas por vetores, 47 ministros da saúde endossaram um plano, na forma de uma Estrutura de Implementação da Resposta Global de Controle de Vetores.

Colapso hídrico: novos caminhos para o uso da água

O acesso seguro à água potável é uma necessidade humana fundamental e básica. A falta de água traz riscos à segurança alimentar e nutricional, pois ameaça suprimento de alimentos demandados para a sobrevivência de uma população. Além disso, a água quando poluída enfraquece ou mesmo destrói os ecossistemas naturais que sustentam a saúde humana e a biodiversidade.

Fogões a lenha estão ajudando a Zâmbia a reduzir perda florestal

Uma parceria do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Global Environment Facility (GEF) junto ao governo da Zâmbia, está desenvolvendo fogões a lenha, que economizam energia e estão ajudando comunidades rurais a reduzir perda florestal, melhorando qualidade de vida e ajudando ao combate às mudanças climáticas. O projeto já chegou a mais de 5.000 famílias na Zâmbia Central, Ocidental e do Noroeste que agora usam os fogões.