Fernanda Maria

A África através dos quadrinhos: o mercado geek está em alta no continente

O mundo sempre contou história por meio de ilustrações. Na pré-história, por exemplo, a comunicação se dava através da arte rupestre nas cavernas. Nos tempos atuais, os quadrinhos diversificaram e democratizaram a disseminação de ilustrações com o intuito de contar histórias. Países como Japão e Estados Unidos fizeram dessa arte uma indústria gigantesca. Já na África, diversos talentos têm surgido a fim de contar a história africana sob outra perspectiva além de ressignificar o gênero. Misturando a tradição africana e o universo fictício dos super-heróis, alguns nomes vem aos poucos ganhando espaço e acumulando uma legião de fãs.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Proteína halal tem potencial para crescimento no Brasil

O Brasil já é reconhecido no mundo islâmico como um dos países que mais tem expertise na produção de alimentos halal, sobretudo por conta da sua atuação no setor de proteínas. Contudo, pode se tornar um player ainda mais relevante.

Abbé Tossa: moda, identidade e África

Nascido em Benin, o estilista Abbé Tossa veio ao Brasil através de um intercâmbio para estudar Ciências Biológicas na Unifesp. Foi no País que seu talento para a moda ganhou força e em 2018 ele lançou a sua marca, a Kuavi. Seu trabalho tem grande influência da tradição africana, desde a escolha dos tecidos a confecção das peças, destacando sua motivação em divulgar a cultura do continente.

Vensam Iala, dos campos para as telas

O guineense Vensam Iala sonhava em ser jogador de futebol. Na infância, sempre ouvia o pai falar do Brasil, consagrado por seu futebol e por jogadores como Pelé. Aos 17 anos, o sonho dele foi interrompido quando fraturou a clavícula, o que impedia a sua profissionalização como atleta. Porém, o fascínio pelo Brasil persistiu. E em 2010 Vesam pode realizar o desejo de conhecer o país. Ele se mudou para a cidade de Assis para estudar Letras na Universidade Estadual de São Paulo (Unesp).

Cape Town: o dia zero para o colapso hídrico

Após três anos de seca, em 2018, a Cidade do Cabo, na África do Sul, enfrentou uma crise hídrica sem precedentes. Com o risco eminente de se tornar a primeira grande metrópole do mundo a ficar sem água, a cidade tomou várias medidas para contornar a crise.

São Paulo: alerta vermelho para o colapso hídrico

A demanda por uso de água no Brasil teve aumento estimado de 80% no total retirado nas últimas duas décadas, de acordo com um relatório publicado em dezembro de 2018 pela Agência Nacional das Águas (ANA). E a tendência é que essa demanda aumente. A previsão é de que até 2030 a retirada aumente 24%. O histórico da evolução dos usos da água está diretamente relacionado ao desenvolvimento econômico e ao processo de urbanização do País, segundo o mesmo estudo.