Brazil Africa Forum

Fernanda Maria

Cape Town: o dia zero para o colapso hídrico

Após três anos de seca, em 2018, a Cidade do Cabo, na África do Sul, enfrentou uma crise hídrica sem precedentes. Com o risco eminente de se tornar a primeira grande metrópole do mundo a ficar sem água, a cidade tomou várias medidas para contornar a crise.

São Paulo: alerta vermelho para o colapso hídrico

A demanda por uso de água no Brasil teve aumento estimado de 80% no total retirado nas últimas duas décadas, de acordo com um relatório publicado em dezembro de 2018 pela Agência Nacional das Águas (ANA). E a tendência é que essa demanda aumente. A previsão é de que até 2030 a retirada aumente 24%. O histórico da evolução dos usos da água está diretamente relacionado ao desenvolvimento econômico e ao processo de urbanização do País, segundo o mesmo estudo.

Cabo verde: o mar como solução para o colapso hídrico

O acesso seguro à água potável é uma necessidade humana fundamental e básica. A falta de água traz riscos à segurança alimentar e nutricional, pois ameaça suprimento de alimentos demandados para a sobrevivência de uma população. Além disso, a água quando poluída enfraquece ou mesmo destrói os ecossistemas naturais que sustentam a saúde humana e a biodiversidade.

Wanderson Petrova: “O amor conquista tudo”

Criada em 2006 pela popstar Madonna, a ONG Raising Malawi (http://www.raisingmalawi.org/health) já ajudou mais de 5.600 crianças com a construção de escolas, creches, centros de saúde e programas de prevenção de doenças. Em 2017, a organização decidiu criar na cidade de Blantyre um hospital chamado The Mercy James Institute for Pediatric Surgery and Intensive Care (MJIPSIC). A inauguração teve a contribuição do artista cearense Wanderson Petrova. Fã de Madonna, ele foi descoberto por ela através das redes sociais e levado para o Malawi para colocar uma de suas obras de grafite em um mural do hospital.