Banco Mundial aprova recursos para pessoas afetadas por ciclones no Zimbábue

O Conselho de Administração do Banco Mundial aprovou hoje (17) uma doação de US$ 72 milhões para o Projeto de Recuperação de Idai do Zimbábue (ZIRP, em inglês). O financiamento ajudará a mitigar o impacto do ciclone Idai nas comunidades mais afetadas do Zimbábue e estabelecerá uma base para a recuperação regional e a resiliência de longo prazo.

Segundo o Banco Mundial, a escala sem precedentes do impacto do ciclone Idai no Zimbábue representa o desastre natural registrado mais devastador do país, agravando a já frágil situação humanitária.

“A situação econômica e humanitária já aguda no Zimbábue foi ainda mais agravada devido aos danos causados ​​pelo ciclone Idai. Isso garante uma resposta extraordinária e urgente do Banco Mundial, e estamos engajando parceiros para montar uma resposta eficaz que atenda às necessidades mais críticas de recuperação imediata e sustentável de desastres”, disse Paul Noumba Um, Diretor do Banco Mundial para África do Sul, Namíbia, Lesoto, Botsuana, Suazilândia, Zâmbia e Zimbábue.

O projeto terá como alvo os distritos mais afetados, com foco em intervenções imediatas para apoiar a regeneração dos meios de subsistência e a restauração de capacidades produtivas agrícolas e pecuárias e serviços de saúde.

O apoio do Banco Mundial complementa a resposta atual do ciclone, fornecendo financiamento oportuno e flexível que aumenta a capacidade de resposta das comunidades afetadas, enquanto as operações humanitárias continuam em conjunto por outros parceiros.

“O ZIRP aborda questões críticas no nexo de desenvolvimento humanitário, combinando as melhores práticas de ambos os campos. Essa abordagem multissetorial fornece uma solução mais integrada, holística e sustentável e ilustra verdadeiramente o poder das parcerias”, afirma R. Mukami Kariuki, Gerente Nacional para o Zimbábue.

LEIA TAMBÉM: “Ciclones são demonstrações das alterações climáticas” diz Guterres, em Moçambique

Além do projeto recém aprovado por sua Diretoria, o Banco Mundial também mobilizará recursos adicionais para prestar assistência técnica ao Governo do Zimbábue na implementação de uma Estrutura geral de Recuperação de Desastres e Resiliência para ajudá-lo a coordenar os esforços de todas as agências de recuperação de desastres em o país.

Números

O ciclone e suas conseqüências impactaram diretamente 270 mil pessoas, deslocadas perto de 60 mil pessoas, causaram danos diretos estimados de US $ 622 milhões e danificaram significativamente a infraestrutura, propriedades, plantações e pecuária, com necessidades estimadas de até US $ 1,1 bilhão.

Top 5

Fortaleza recebe primeiro data center da Angola Cables no Brasil

Após instalar dois cabos de fibra ótica em Fortaleza (o Monet, que vai até os Estados Unidos; e o SACS, que se conecta com...

Pesquisa e inovação impactam a agricultura do Brasil

São abundantes as manifestações de lideranças ao redor do mundo em reconhecimento à trajetória virtuosa da pesquisa agropecuária brasileira nos últimos quarenta anos. Graças...

Acordo preferencial eleva exportações sul-africanas ao Brasil

As exportações sul-africanas para o Brasil aumentaram de US$483 milhões em 2017 para US$ 663 milhões em 2018. As informações foram reveladas pela representante econômica...

Bienal do livro do Ceará receberá três autores africanos

Três escritores africanos estarão participando da Bienal Internacional do Livro do Ceará, que será realizada em Fortaleza entre os dias 16 a 25 de...

Paulo Rogério Nunes: criatividade, inovação e “baianidade”

Uma das maiores do Brasil e considerada a cidade mais negra fora do continente africano, Salvador tem se destacado por conta das iniciativas ligadas...