Home Capa

Capa

Os países do BRICS são estratégicos para a África, aposta executivo do Afreximbank

Promover negócios na África é o principal foco do Afreximbank. Em entrevista a Hippolyte Fofack, Hippolyte Fofack, economista-chefe e diretor de pesquisa e cooperação do banco, falou sobre desafiar o status quo e incentivar o desenvolvimento do continente em parceria com países do BRICS.

Ministro Sul Africano fala sobre cooperação da África para desenvolvimento

“Nós temos uma democracia jovem. A última a ser libertada. Uma das coisas mais importantes que estamos preocupados em fazer é aprender com os que vieram antes de nós ", declara Mcebisi Skwatsha, vice-ministro de agricultura da África do Sul. Em entrevista para a ATLANTICO, ele falou sobre os desafios para seu país e o que foi aprendido com o modelo brasileiro. Ele também destacou a importância da cooperação entre países africanos. A entrevista foi concedida durante o Fórum Brasil África 2019, que aconteceu em São Paulo no mês de novembro.

ODS: Tang Shengyao, da FAO fala sobre o papel da Cooperação Sul-Sul

Tang Shengyao, diretor do Escritório de Cooperação Sul-Sul e Triangular da FAO, falou em entrevista à ATLANTICO sobre as estratégias de colaboração para atingir as metas da agenda 2030 da ONU. O plano indica os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) - divididas em 169 metas - para erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, dentro dos limites do planeta. Ele também destacou o papel do Brasil no contexto da Cooperação Sul-Sul.

Standard Bank e atração de investimentos para a África, segundo Natália Dias

Com sede na África do Sul, o Standard Bank tem um missão: levar mais investidores para o continente africano. Natalia Dias, CEO do Standard Bank no Brasil, falou com a ATLANTICO sobre a presença do banco nos grandes mercados financeiros e como é feita a atração de multinacionais para a África. Também falou sobre o incentivo para o setor privado e o papel do banco nesse cenário.

Bienal de Fotografia de Bamako quer ir além das abordagens fotográficas convencionais

“Correntes de consciência” é o tema da 12ª edição da Bienal de Fotografia de Bamako. “Rencontres de Bamako – Biennale africaine de la photographie". O evento, que comemora 25 anos de realização segue até 31 de janeiro na capital do Mali. Segundo seus idealizadores, a mostra quer desafiar o olhar dos participantes ao incluir projetos artísticos que vão além das abordagens fotográficas convencionais.

“Cooperação trilateral é o caminho para o desenvolvimento”, segundo economista do IBRAF

O economista do Instituto Brasil África (IBRAF), Igor Lucena, aponta a colaboração trilateral como um dos meios para avançar no desenvolvimento da África. “Estamos trabalhando de uma maneira trilateral que une governos, é claro, mas temos aqui empreendedores, setor privado e também instituições internacionais que juntas criam um vínculo que ajuda as economias a se desenvolverem de maneira mais internacional.” Ele acredita que, criando novas oportunidades econômicas, os países africanos poderão se desenvolver e assim atingirem a segurança alimentar. O economista destaca a importância de eventos como o Fórum Brasil África para estimular discussões a respeito das oportunidades do continente africano.

“O Brasil tem muito o que aprender com a África afirma”, diz Cezar Rizzi da CAMPO

A expertise de agricultura tropical do Brasil pode contribuir muito para a África, segundo Cezar Rizzi, coordenador de Projetos da CAMPO. “O Brasil têm muito o que aprender com a África, mas também muito a contribuir, principalmente no que diz respeito a agricultura tropical”, destacou Rizzi, ao falar das oportunidades no continente.

Ulrich Sabel-Koschella: a colaboração é essencial para o desenvolvimento na África

“A colaboração e troca de conhecimento é o fator determinante para a aceleração do desenvolvimento na África”. É que diz Ulrich Sabel-Koschella, chefe das cadeias de valor de agricultura do GIZ, a agência de cooperação da Alemanha. Em entrevista para a ATLANTICO, ele falou sobre sobre a parceria entre Alemanha, Brasil e Gana para fortalecer o setor de caju no país africano. O projeto foi apresentado durante um workshop no Fórum Brasil África 2019. Além disso, Sabel-Koschella comentou sobre a cooperação Sul-Sul e como a agricultura pode contribuir para o desenvolvimento econômico de países africanos.

Luana Ozemela quer mais negócios entre América Latina e Oriente Médio

Especializada em cooperação bilateral, a DIMA está expandindo seu raio de atuação para a América Latina e para os países do Golfo. Fundada pela empresária brasileira Luana Ozemela, a empresa é sediada no Qatar Financial Centre, centro financeiro em Doha. Acrônimo para Development Impact Managers & Advisors, a DIMA atua na área de consultoria de gestão. “Nosso objetivo é prover serviços tanto para empresas brasileiras que querem fazer negócios com o Catar e no Catar, quanto investidores catarianos que estão buscando oportunidades de investimento no Brasil”, explica Ozemela.