Chanceler brasileiro reafirma África como prioridade

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, reiterou o compromisso do país em estreitar as relações com o continente africano. Esta semana, quando cumpriu uma agenda em quatro países da África Ocidental, ele reafirmou que a África “é uma prioridade” para o Brasil. A frase tem um teor semelhante ao discurso proferido pelo vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a abertura do Fórum Brasil África 2019 e também ao que foi dito pelo embaixador do Brasil no Senegal, Flávio Lima Rocha, em entrevista à ATLANTICO. 

Segundo noticiou a Agência Brasil,  o diplomata quer uma nova visão da relação do Brasil com a África e também estabelecer uma nova estrutura de comércio e investimentos no continente africano. “Estamos mostrando a verdadeira dimensão da nossa política”, revelou. 

Agenda de segurança no Atlantico Sul

Ernesto Araújo se reuniu com líderes de Cabo Verde, Senegal, Nigéria e Angola.  Com todos eles, o diplomata discutiu a implementação de acordos nas áreas de segurança, defesa, comércio e investimentos. “O Brasil, nos últimos governos, relegou esse vetor da diplomacia brasileira, que é a segurança do Atlântico Sul. A ideia é reativar essa cooperação”, afirmou o embaixador Kenneth Nóbrega, secretário de Negociações Bilaterais do Itamaraty paras as áreas do Oriente Médio, Europa e África

Ernesto Araújo e líderes cabo verdianos

O  Brasil exportou US$ 408,4 milhões para Angola entre janeiro e novembro de 2019. As importações somaram US$ 140, 5 milhões no mesmo período. 

Acompanhado de representantes das principais empresas brasileiras do setor de defesa, ele participou de showcases em Luanda e em Abuja. 

Nesta quinta-feira (12), o chanceler brasileiro assinou em Luanda, com o chanceler de Angola, Manuel Domingos Augusto, o Acordo de Segurança e Ordem Interna, um documento une esforços dos dois países para o combate ao crime organizado, ao terrorismo e ao narcotráfico.

Ernesto Araújo com Ministro dos Negócios Estrangeiros da Nigéria, Geoffrey Onyeama.

Nigéria: Mais transporte e mudanças na ONU

Na última terça-feira (10) o chanceler Ernesto Araújo se reuniu em Abuja com o ministro de Negócios Estrangeiros da Nigéria, Geoffrey Onyeama. Na sequência, ele se reuniu com o vice-presidente Yemi Osinbajo e com o presidente da Comissão da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (Cedeao), Jean-Claude Kassi Brou. 

Entre 2014 e 2018, a economia senegalesa foi a terceira que mais cresceu entre as economias da África Ocidental (a uma média anual de 6,5%) e a sexta em todo o continente. 

Reunião de Ernesto Araújo com o Ministro de Estado das Relações Exteriores de Angola, Manuel Domingos Augusto.

Na pauta das reuniões, foram discutidos os potenciais da cooperação agrícola. O chanceler brasileiro enfatizou a necessidade de mais ligações de transportes entre os dois países, como meio de gerar “mais negócios e mais ideias”. Araújo e Onyeama também conversaram sobre uma possível reforma da Organização das Nações Unidas (ONU) e do sistema de organismos internacionais. 

Está marcada para para março em Abuja uma reunião da Parceria Estratégica Brasil-Nigéria, com a presença dos vice-presidentes dos dois países

Convites de Jair Bolsonaro

Na segunda-feira (9), o chanceler brasileiro entregou uma carta-convite do presidente brasileiro Jair Bolsonaro  para o presidente do Senegal, Macky Sall, convidando-o a visitar o Brasil em 2020. O presidente angolano João Manuel Gonçalves Lourenço, também recebeu um convite similar na quinta-feira (12).

O presidente Jair Bolsonaro deve fazer sua primeira viagem ao continente africano em março de 2020, conforme anunciou o vice-presidente Hamilton Mourão durante seu discurso na abertura do Fórum Brasil África 2019.


Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

O futuro das relações entre Brasil e África é promissor, segundo Hamilton Mourão

"As relações com a África são e serão prioritárias para o Brasil e o para os brasileiros", declarou o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a cerimônia de abertura do Fórum Brasil África 2019.