Cinco cidades africanas terão projeto-piloto para eficiência de gestão pública

Cinco cidades foram escolhidas para a fase piloto do Diagnóstico de Cidades, programa que  apóia cidades e municípios africanos a melhorar sua resiliência e gerenciar melhor o crescimento e desenvolvimento urbano por meio de planejamento, governança e serviços públicos eficientes. 

São elas: Antananarivo (Madagascar), Bizerte (Tunísia), Conacri (República da Guiné), Dodoma (Tanzânia) e Libreville (Gabão).

A ferramenta foi desenvolvida pelo Banco Africano de Desenvolvimento (AfDB) em parceria com o Fundo de Desenvolvimento Urbano e Municipal (UMDF) e com  Cooperação Econômica África da Coréia (KOAFEC) 

“A nova ferramenta permitirá que os gestores e parceiros de desenvolvimento da cidade tenham uma compreensão clara da situação em todos os vários subsetores da cidade e permitam priorizar nosso trabalho”,  diz Amadou Oumarou, diretor do Departamento de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano do AfDB.

Como funciona

A ferramenta Cities Diagnostics inclui indicadores-chave de sustentabilidade ambiental e urbana; dois estudos de linha de base que cobrem o risco e a vulnerabilidade a desastres e o crescimento da pegada urbana. 

Também inclui uma pesquisa de opinião pública que abrange acessibilidade e qualidade dos serviços municipais de água, saneamento e eletricidade. 

Drenagem, gerenciamento de resíduos sólidos e outras medidas de qualidade de vida nas cidades também estão incluídas. 

A ferramenta pode medir e avaliar parâmetros de inclusão e resiliência, estratégias, mobilização de recursos municipais, investimentos e administração de contas públicas.

+ As diretrizes para a fase piloto – que termina no final de 2020 –  foram discutidas durante um workshop, realizado nos dias 25 e 26 de setembro de 2019 em Abidjan. Participaram da reunião gestores municipais e especialistas internacionais em desenvolvimento urbano’“. As oportunidades urbanas superam os desafios”, afirma Davis G. Mwamfupe, prefeito de Dodoma.

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

Rio de Janeiro terá exposição de Arte Iorubá

A Casa de Herança Oduduwa recebe a partir do mês de Agosto uma exposição de peças milenares da cultura iorubá. A mostra de arte...