Cooperação Sul-Sul: Brasil compartilha seu expertise em mandioca com África

Jovens africanos irão participar de um workshop de especialização em pós colheita de mandioca no Brasil. O treinamento acontece através do  Youth Technical Training Program (YTTP) que vem se consolidando como um dos principais programas de transferência de tecnologia entre o Brasil e o continente africano fortalecendo a política de cooperação sul-sul. O YTTP é realizado pelo Instituto Brasil África (IBRAF) desde 2017 e conta com o apoio da Embrapa. Neste ano, a Rural Enterprises Programme (REP) e o Ghana Agricultural Sector Investment Programme (Gasip) também estão apoiando.

A iniciativa pretende promover troca de conhecimento e gerar estímulo econômico tendo em vista que a planta é usada no continente tanto como cultura de subsistência quanto comercialmente.  Durante o curso, os jovens de várias nações da África aprendem sobre as práticas e técnicas da agricultura brasileira especializada em mandioca e podem aplicá-las em sua realidade. 

Neste ano, cerca de 26 jovens de (13) Gana, (6) Malawi e (7) Nigéria estarão participando do treinamento. De acordo com o presidente o IBRAF, João Bosco Monte, o YTTP traz a oportunidade de criarmos uma relação entre o Brasil e a África nas áreas de treinamento e capacitação, além da partilha de conhecimentos.

“Como professor, sei que precisamos trabalhar com a juventude para que possamos ir mais longe enquanto uma comunidade global. Nesse o YTTP surge com esse intuito de capacitar jovens africanos, trazê-los para o Brasil e criarmos laços de cooperação”, explica.

Considerada pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o alimento do século XXI, a mandioca se destaca por uma grande fonte de nutrientes. Além disso, por crescer em solos de baixa pluviosidade, acaba por ser uma das culturas da África Subsaariana, sendo a Nigéria a sua maior produtora global.

O programa irá contemplarar homens e mulheres, de 18 a 35 anos, e ocorre entre os dias 4 e 13 de novembro, em Cruz das Almas, no Estado da Bahia, sendo finalizado no Fórum Brasil África 2019, que acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo. 

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

O futuro das relações entre Brasil e África é promissor, segundo Hamilton Mourão

"As relações com a África são e serão prioritárias para o Brasil e o para os brasileiros", declarou o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a cerimônia de abertura do Fórum Brasil África 2019.