Governo Angolano promove extensivo plano de Privatizações

O Governo angolano lançou um projeto que busca privatizar, entre 2019 e 2022, 195 empresas públicas, das quais 32 estão classificadas como empresas de referência nacional, nomeadamente dos setores dos Recursos Minerais e Petróleos, Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Transportes, Finanças, Hotelaria e Turismo, Agricultura e Indústria.

Segundo o governo, o Programa de Privatizações (ProPriv), que compreende 195 empresas públicas, vai contribuir para aumentar os níveis de emprego e a eficiência das empresas do país, “reduzindo gradualmente os custos de produção” como declarado no lançamento do programa.

O Instituto de Gestão de Ativos e Participações do Estado (IGAPE) de Angola assegurou que os trabalhadores das 195 empresas públicas que serão privatizadas “vão participar do capital social das empresas” através do Fundo Social dos Trabalhadores.

“Em relação à previsão do encaixe financeiro que resultará do Programa das Privatizações, neste momento não temos ainda uma estimativa de receitas, porque resultará de um processo de avaliação de cada empresa que será sujeita à privatização”, afirmou  o ministro das Finanças angolano, Archer Mangueira, na terça-feira (13) durante a sessão pública de apresentação do ProPriv, em Luanda.

Ministro das Finanças de Angola, Archer Mangueira

As receitas destinam-se ao financiamento de programas que sirvam o desenvolvimento econômico e social do país, com particular foco ao avanço do setor produtivo. 15% das  receitas provenientes da execução do Programa de Privatizações serão utilizadas para o financiamento do Orçamento Geral do Estado (OGE).

Além das 32 empresas de referência nacional, o Governo angolano vai também privatizar 50 empresas classificadas como empresas participadas e ativos da petrolífera estatal Sonangol, 51 unidades industriais da Zona Económica Especial (ZEE) Luanda-Bengo e as restantes 62 consideradas outras empresas e ativos.

Consta do cronograma de ação do ProPriv a privatização de 80 empresas/ativos em 2019, 91 empresas/ativos em 2020, 20 empresas/ativos em 2021 e 4 empresas em 2022.

Top 5

Fortaleza recebe primeiro data center da Angola Cables no Brasil

Após instalar dois cabos de fibra ótica em Fortaleza (o Monet, que vai até os Estados Unidos; e o SACS, que se conecta com...

Pesquisa e inovação impactam a agricultura do Brasil

São abundantes as manifestações de lideranças ao redor do mundo em reconhecimento à trajetória virtuosa da pesquisa agropecuária brasileira nos últimos quarenta anos. Graças...

Bienal do livro do Ceará receberá três autores africanos

Três escritores africanos estarão participando da Bienal Internacional do Livro do Ceará, que será realizada em Fortaleza entre os dias 16 a 25 de...

Acordo preferencial eleva exportações sul-africanas ao Brasil

As exportações sul-africanas para o Brasil aumentaram de US$483 milhões em 2017 para US$ 663 milhões em 2018. As informações foram reveladas pela representante econômica...

Fórum Brasil África 2019: Segurança Alimentar em foco

A problemática da fome tem se tornado cada vez mais recorrente, embora ela tenha estado em declínio nos últimos anos, segundo informações da Organização...