Japão, África do Sul e BAD querem acelerar a transformação tecnológica da África

“Ciência, tecnologia e inovação, bem como o desenvolvimento de recursos humanos, são críticos na África, um continente com maior potencial na Terra”, afirmou Shinzo Abe, o primeiro-ministro do Japão, no fórum Ciência, Tecnologia e Sociedade (STS, na sigla em inglês), realizado em Yokohama, como parte do TICAD 7.

Criado em 2004, o Fórum visa fortalecer a cooperação entre o Japão e a África em ciência, tecnologia e inovação.

Foto: Banco de Desenvolvimento Africano (AfDB)

“A África do Sul apoia o foco em ciência, tecnologia e inovação como um tema prioritário para o TICAD 7, dado seu grande potencial para acelerar o desenvolvimento africano por meio de parcerias mutuamente benéficas com o Japão, disse o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa. “O fórum STS mudou com sucesso o discurso global sobre o papel da ciência no desenvolvimento. Buscamos o apoio do fórum para mudar o discurso sobre o papel da África na ciência e na inovação”, concluiu.

“Vamos ser visionários. Vamos ser ousados. Vamos apoiar iniciativas concretas para impulsionar a ciência, tecnologia e inovação na África “, Akinwumi Adesina

O presidente do Banco Africano de Desenvolvimento, Akinwumi Adesina compartilhou idéias sobre o trabalho e o apoio do Banco para treinar e desenvolver a próxima geração de cientistas. Desde 2005, o Banco Mundial concedeu financiamento de mais de US $ 2 bilhões para apoiar a educação, resultando em oportunidades educacionais para 6 milhões de estudantes.

“Estamos orgulhosos do nosso investimento em apoiar o estabelecimento do Centro Regional de Excelência em Kigali em conjunto com a Universidade Carnegie Mellon, que está fornecendo treinamento de mestrado de classe mundial em TIC. Estou muito satisfeito que todos os estudantes que se formaram na universidade tenham 100% de emprego, incluindo a criação de seus negócios ”, disse Adesina.

O Banco apoiou o estabelecimento de parques digitais de TIC no Senegal e Cabo Verde e está trabalhando com a Fundação Rockefeller, Microsoft, Facebook, LinkedIn e Safaricom para estabelecer centros de codificação em vários países.

Adesina ofereceu algumas áreas-chave a serem priorizadas em ciência e tecnologia, incluindo o estabelecimento de centros regionais de excelência; a necessidade urgente de aumentar a parcela do PIB dedicada à ciência e tecnologia e diminuir a diferença de gênero no ensino superior.

“Vamos ser visionários. Vamos ser ousados. Vamos apoiar iniciativas concretas para impulsionar a ciência, tecnologia e inovação na África “, concluiu.

Ministros de Ciência e Tecnologia, embaixadores, executivos de agências e negócios internacionais e nacionais na África e no Japão também participaram do Fórum.

O TICAD 7 acontece até 30 agosto em Yokohama, Japão.

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

O futuro das relações entre Brasil e África é promissor, segundo Hamilton Mourão

"As relações com a África são e serão prioritárias para o Brasil e o para os brasileiros", declarou o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a cerimônia de abertura do Fórum Brasil África 2019.