Moçambique recebe doação do Banco Mundial para recuperar estradas após ciclones

O Banco Mundial aprovou uma doação de US$ 110 milhões para apoiar os esforços de reconstrução do Governo de Moçambique após os ciclones Idai e Kenneth. Este financiamento será direcionado às necessidades de recuperação pós-desastre de Moçambique no setor de estradas e visa a reconstrução e reabilitação de estradas e pontes rurais nas províncias de Sofala, Manica, Tete e Cabo Delgado.

“Os ciclones Idai e Kenneth destruíram grande parte da rede de estradas nas seis províncias, o que resultou em um tremendo sofrimento humano nas comunidades rurais”, observou Mark Lundell, diretor de países do Banco Mundial em Moçambique, Madagascar, Maurício, Seychelles e Comores. “Este projeto ajudará a restaurar o acesso a oportunidades médicas, educacionais e econômicas para as comunidades afetadas.”

Foto: Unicef Moçambique

Estradas danificadas dificultam os esforços de recuperação e reconstrução de emergência em todos os outros setores da economia. Para as classes mais pobres, as estradas rurais são a única conexão com serviços médicos essenciais, escolas, instalações sociais, além de afetar diretamente seu desenvolvimento econômico. Comunidades inteiras, com grande número de habitantes, foram interditadas durantes semanas. Pontes desmoronadas resultam em grandes desvios e rotas alternativas, adicionando em alguns casos, mais de 50 km para comutar. 

Este financiamento adicional faz parte do pacote regional mais amplo do Banco Mundial, que compreende um conjunto de operações totalizando cerca de US $ 700 milhões em recursos para apoiar a resposta do ciclone no Malawi, Moçambique e Zimbábue.

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

O futuro das relações entre Brasil e África é promissor, segundo Hamilton Mourão

"As relações com a África são e serão prioritárias para o Brasil e o para os brasileiros", declarou o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a cerimônia de abertura do Fórum Brasil África 2019.