Brazil Africa Forum

Nigéria implementa programas de combate a doenças transmissíveis entre pessoas que usam drogas

“A Nigéria, com sua enorme população, continua a experimentar um efeito incalculável do uso de drogas, especialmente entre os jovens”, diz Mashood Lawal, Diretor de Alimentos e Medicamentos do Ministério Federal da Saúde (FMoH).

De acordo com o Relatório Mundial sobre Drogas da ONU de 2019 e a Organização Mundial da Saúde (OMS), a partir de 2017 estima-se que 271 milhões de pessoas em todo o mundo usavam drogas, das quais 11,3 milhões são injetáveis. Além da mortalidade associada ao uso, o mesmo ​​tem sido associado à transmissão de doenças transmissíveis.

“Estou injetando drogas há muito tempo e compartilhamos seringas”, diz Ali, que mora no subúrbio do Território da Capital Federal (FCT) e recentemente diagnosticou estar co-infectado com Tuberculose (TB) e HIV. Consequente as dificuldades da vida nas ruas, Ali estava exposto ao uso de drogas já aos 10 anos e começou a usar drogas injetáveis ​​quando tinha 14 anos. “Eu gostaria de poder parar agora, mas é muito difícil”, lamenta.

Em resposta ao sofrimento de pessoas como Ali, o governo nigeriano está fazendo movimentos para acabar com as doenças transmissíveis entre as pessoas que usam drogas. Isto está sendo alcançado através de foco em  grupos populacionais chave dentro de vários programas nacionais, evidenciando principalmente mudanças comportamentais e intervenções preventivas, incluindo tentativas de apoio biomédico e efeitos dilatórios.

Foto: Unicef/Frank Dejongh

Um relatório independente encomendado pelo Fundo Global em 2016 indica uma crescente necessidade de um pacote completo de intervenções para esses grupos populacionais, conforme definido pela OMS. Os resultados da pesquisa nacional sobre uso de drogas, realizada em 2018 pelo Relatório Nacional de Pesquisa de Uso de Drogas do UNODC,  também revelaram que 14,4% da população em geral usa drogas, uma taxa superior à média global de 5,6%. O relatório revela ainda que há mais pessoas que injetam drogas do que o estimado anteriormente, a grande preocupação são as práticas de injeção que aumentam o risco de transmissão de HIV e hepatite viral.

O Programa Nacional sobre Demanda de Drogas e Redução de Danos (NDDHR) está intimamente ligado ao Comitê Consultivo Presidencial para a Eliminação do Abuso de Drogas (PACEDA), que foi estabelecido em maio de 2019 com o intuito de coordenar a resposta do setor de saúde ao uso de drogas. Dessa forma, um grupo de trabalho técnico nacional (TWG) foi instaurado para apoiar o lançamento da iniciativa.

“Desde o início do programa, a OMS tem estado na vanguarda, liderando outros parceiros, incluindo a Organização das Nações Unidas para Controle de Drogas, Fundo Global e partes interessadas nacionais para apoiar o governo a desenvolver uma declaração política e estratégia que será incorporada ao Controle Nacional de Drogas. Plano Diretor ”, declara o Dr. Rex Mpazanje, chefe de grupo de doenças transmissíveis / não transmissíveis da OMS Nigéria.

“Da mesma forma, um roteiro e uma diretriz nacional para a implementação de um programa de agulhas e seringas (NSP) voltado para a eliminação de transmissíveis entre PWID foi desenvolvido. Espera-se que o NSP que está sendo financiado através do Fundo Global com apoio técnico da OMS seja testado em três estados em todo o país nos próximos meses ”, acrescentou.

Parcerias e colaboração entre governo e instituições de saúde estão sendo feitas com o objetivo de alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 2030 (ODS 2030).

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

Morre o pesquisador Fernando Arenas, referência em estudos culturais sobre África Lusófona

Oito anos depois de ser publicado nos Estados Unidos, o livro "África Lusófona – Além da Independência" recebe uma edição traduzida para o português. A obra foi escrita pelo prof

Museu egípicio é inaugurado no Rio Grande do Sul

O museu egípcio com o maior acervo da América Latina é inaugurado, essa semana, no Rio Grande do Sul. Localizado na cidade de Canela, o museu sediará uma exposição permanente de peças egípcias. Além disso conta com uma loja de produtos que remetem à cultura e a história do antigo Egito com peças produzidas por artistas do país.

Fortaleza recebe primeiro data center da Angola Cables no Brasil

Após instalar dois cabos de fibra ótica em Fortaleza (o Monet, que vai até os Estados Unidos; e o SACS, que se conecta com...