“O setor privado tem um papel crucial para o desenvolvimento”, afirma presidente do IBRAF

“Políticas governamentais de desenvolvimento são de grande importância, entretanto o setor privado também desempenha um papel crucial em questões de cooperação sul-sul e triangular”. Este foi um dos argumentos do presidente do  Instituto Brasil África (IBRAF), João Bosco Monte, durante o African Green Revolution Forum (AGRF), que aconteceu em Gana.

O AGRF é um dos principais fóruns para a agricultura africana. Nesta edição, sob o tema “Grow Digital”, os participantes discutiram a digitalização como um fator essencial para a transformação agrícola. 

Bosco Monte (ao centro).

O presidente do IBRAF participou da sessão “South-South – Policy and Innovations: Learning from China and Beyond”, que era focada nas oportunidades que a cooperação sul-sul apresenta para o continente africano. João Bosco esteve acompanhado de representantes de Índia, Israel e China. Durante a sessão, foram apresentadas práticas de sucesso realizadas nos países que fazem parte do “sul global” e como algumas dessas podem ser aplicadas no continente africano.

O desenvolvimento agrícola representa um dos grandes potenciais dos países da África. Embora seja um continente com terras muito férteis, a agricultura da região ainda não está no mesmo nível de avanço quando comparado com outras regiões, como no Brasil e Ásia. “Precisamos entender e respeitar a individualidade de cada país africano. Não podemos simplesmente ‘plug and play’ ”e oferecer uma solução continental abrangente”, defende.

“A voz do setor privado precisa estar presente ao lado do envolvimento e do apoio do governo”

Para ele, aplicar práticas agrícolas eficazes e sustentáveis no continente é uma das formas de estimular o crescimento econômico da região, bem como garantir segurança alimentar para a população.

“O IBRAF, por exemplo, tem um programa chamado de Youth Technical Training Program, que traz jovens de várias nações do continente africano e os capacitamos quanto à técnicas brasileiras de agricultura. Esses jovens têm a oportunidade de aplicar o que veem na sua própria realidade e potencializar seus ganhos”, afirmou João Bosco Monte.

O YTTP este ano chega a sua terceira edição e acontece entre os dias 4 e 13 de novembro em Cruz das Almas, no Estado da Bahia, e vai oferecer treinamento em pós-colheita de mandioca. O workshop é realizado em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária.

YTTP: Jovens africanos participam de treinamento no Brasil

“Precisamos de gerenciamento ao lado da tecnologia. Grandes máquinas não podem ser trazidas sem o treinamento e a instrução necessários. E a voz do setor privado precisa estar presente ao lado do envolvimento e do apoio do governo”, defende.

+ A questão da segurança alimentar aliada ao desenvolvimento econômico também será discutida durante o Fórum Brasil África 2019, que acontece em São Paulo entre os dias 12 e 13 de novembro. Esta é a sétima edição do evento, que é uma realização do Instituto Brasil África,  que tem se consolidado como uma das principais plataformas para discussão de questões de interesse do Brasil e do continente africano.

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

Rio de Janeiro terá exposição de Arte Iorubá

A Casa de Herança Oduduwa recebe a partir do mês de Agosto uma exposição de peças milenares da cultura iorubá. A mostra de arte...