ONU estabelece novas datas dedicadas à alimentação e agricultura

2021 foi designado como o Ano Internacional das Frutas e Legumes, 21 de maio como Dia Internacional do Chá e 29 de setembro como Dia Internacional de Consciência da Perda e Desperdício de Alimentos, de acordo com as resoluções adotadas pela Assembléia Geral da ONU.

“Ao destacar o valor das frutas e legumes e os danos causados ​​pela perda e desperdício, a ONU deu um passo decisivo para promover sistemas alimentares mais justos, mais ecológicos e mais eficientes”, disse Maria Helena Semedo, vice-diretora geral de clima e recursos naturais da FAO. “Honrar o chá é uma homenagem às legiões de pequenos agricultores que ajudam a produzir a bebida favorita do mundo, depois da própria água”, complementa.

Maria Helena Semedo

A FAO e a Organização Mundial da Saúde recomendam que cada adulto consuma pelo menos 400 gramas de frutas e vegetais diariamente para prevenir doenças crônicas não transmissíveis (DNTs), incluindo doenças cardíacas, câncer, diabetes e obesidade, além de combater deficiências de micronutrientes. Defender o consumo de produtos frescos também fortalece o papel dos pequenos agricultores e agricultores familiares e promove opções mais amplas de mercado para milhões de famílias rurais.

O Dia Internacional do Chá foi comemorado por alguns países – principalmente no sul da Ásia e na Tanzânia – onde o chá é uma bebida importante e também uma commodity há algum tempo. A data visa reconhecer e promover a contribuição da erva para a saúde humana, socialização, desenvolvimento rural e meios de subsistência sustentáveis. O chá é uma das principais culturas lucrativas para milhões de famílias nos países em desenvolvimento e sua indústria fornece empregos em áreas remotas e economicamente desfavorecidas.

Pelo fim do desperdício

O Dia Internacional da Conscientização sobre Perda e Desperdício de Alimentos, por sua vez, pode contribuir para o desenvolvimento sustentável. Segundo a FAO, a perda e o desperdício de alimentos têm um impacto direto na segurança alimentar e nas mudanças climáticas. Estima-se que 14% dos alimentos do mundo sejam perdidos ao longo da cadeia, desde o ponto de colheita até o nível de varejo, e provavelmente, ainda mais, será desperdiçado mais tarde.

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

O futuro das relações entre Brasil e África é promissor, segundo Hamilton Mourão

"As relações com a África são e serão prioritárias para o Brasil e o para os brasileiros", declarou o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a cerimônia de abertura do Fórum Brasil África 2019.