Brazil Africa Forum

SADC: Agências da ONU pedem mais apoio para vítimas da fome

Nos próximos seis meses, 45 milhões de pessoas em 16 países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) sofrerão uma situação de grave insegurança alimentar. O número recorde foi divulgado pelas agências de alimentação das Nações Unidas.

Para mitigar esse processo, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) pedem financiamento urgente para evitar uma grave crise de fome na região.

As três agências também pedem que a comunidade internacional incremente os investimentos com medidas a longo prazo para combater os efeitos da crise climática e impulsionar a capacidade das comunidades e dos países em enfrentá-la.

Armazém de feijão-caupi na cidade de Nampula, Moçambique.
Armazém de feijão-caupi na cidade de Nampula, Moçambique.

“Temos tido a pior seca em 35 anos”.

Neste momento, 11 milhões de pessoas enfrentam níveis críticos de inssegurança alimentar em nove países da África Austral: Angola, Zimbábue, Moçambique, Zâmbia, Madagascar, Malauí, Namíbia, Suazilândia e Lesoto. “Temos tido a pior seca em 35 anos nas zonas centrais e ocidentais durante a temporada agrícola”, explica Margaret Malu, diretora regional do Programa Mundial de Alimentos (PMA) para a África Austral.

“Devemos atender às necessidades preementes de emergência alimentar e nutricional de milhões de pessoas, mas também investir na resiliência daqueles que se veem ameaçados por secas, inundações e tempestades cada vez mas frequentes e graves”, acrescentou Malu.

“As chuvas tardias, largos período de seca, ciclones de grande magnitude e os problemas econômicos têm demonstrado ser uma combinação desastrosa para a segurança alimentar e os meios de subsistência em toda a África Austral”, afirmou Alain Onibon, coordenador sub-regional da FAO para a África Austral. Os países da região contaram com chuvas normais apenas em uma das últimas cinco temporadas agrícolas.

“Uma vez que muitas comunidades agrícolas podem precisar de ao menos duas ou três temporadas agrícolas para retomar a produção normal, a ajuda imediata se torna vital. Agora é o momento de ampliar a resposta à emergência agrícola”, acrescentou Onibon.

Segundo ele, é preciso assegurar que os agricultores e os pastores de gado aproveitem as boas chuvas previstas – caso elas ocorram. “Isso seria crucial para ajudá-los a reconstruir seus meios de subsistência”, concluiu.

Calibri Youth Center, uma ação apoiada pela FAO em Moçambique Imagem: FAO
Calibri Youth Center, uma ação apoiada pela FAO em Moçambique Imagem: FAO

Desenvolvimento sustentável para mitigar as crises

Segundo o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), as temperaturas na África Austral estão aumentando duas vezes mais em relação à média mundial, e a região inclui seis dos noves países que serão mais afetados pelo clima adverso nos próximos anos: a República Democrática do Congo, Malauí, Moçambique, Tanzânia, Zâmbia e Zimbábue.

“Com uma região tão propensa a crises e afetada por altas taxas de fome crônica, desigualdade e pobreza estruturais, a mudança climática é uma emergência que deve ser abordada com a máxima urgência”, avaliou Robson Mutandi, diretor do FIDA para África Austral.

Ele lembra que os governos devem desempenhar o papel mais relevante, porém todos devem colaborar. “Isso afeta a cada um de nós”, conclui.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

Morre o pesquisador Fernando Arenas, referência em estudos culturais sobre África Lusófona

Oito anos depois de ser publicado nos Estados Unidos, o livro "África Lusófona – Além da Independência" recebe uma edição traduzida para o português. A obra foi escrita pelo prof

Museu egípicio é inaugurado no Rio Grande do Sul

O museu egípcio com o maior acervo da América Latina é inaugurado, essa semana, no Rio Grande do Sul. Localizado na cidade de Canela, o museu sediará uma exposição permanente de peças egípcias. Além disso conta com uma loja de produtos que remetem à cultura e a história do antigo Egito com peças produzidas por artistas do país.

Fortaleza recebe primeiro data center da Angola Cables no Brasil

Após instalar dois cabos de fibra ótica em Fortaleza (o Monet, que vai até os Estados Unidos; e o SACS, que se conecta com...