Brazil Africa Forum

Gustavo Augusto-Vieira

gustavo@atlanticoonline.com

O futuro das relações entre Brasil e África é promissor, segundo Hamilton Mourão

"As relações com a África são e serão prioritárias para o Brasil e o para os brasileiros", declarou o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a cerimônia de abertura do Fórum Brasil África 2019.

Aumento de 50% na demanda de energia pode expandir quatro vezes a economia africana, diz AIE

A África tem potencial para expandir a economia continental quatro vezes, com as demandas de energia...

Resiliência, amor e fé para as crianças de Madagascar

Criada no Ceará em 1982 e com diversas atividades Brasil agora reunindo cerca de 600 mil membros, a Comunidade Católica Shalom mantém há 13 anos uma casa em Antsiranana, no norte de Madagascar. Considerado um dos mais pobres do mundos, o país insular africano tem 25 milhões de habitantes. A expectativa de vida é baixa - apenas 40 anos - e apenas 2% da população tem acesso à água encanada.

Coumba D. Sow: “Minha missão é garantir que as pessoas aqui tenham água”

Coordenado pela agroeconomista senegalesa Coumba D. Sow, o programa  “1 milhão de cisternas para o Sahel” é uma iniciativa da Organização...

A favela orgânica de Regina Tchelly

Favela Orgânica é o nome de um empreendimento social localizado no Morro da Babilônia, uma favela da zona norte do Rio...

Exposição inédita reúne esculturas, sarcófagos e múmias do Egito Antigo no Rio de Janeiro

Múmia de gato. Procedência desconhecida, séc. III a.C. – séc. III d.C. Montada no Rio de Janeiro, a...

“A África continua uma prioridade para o Brasil”, afirma embaixador

Em entrevista à ATLANTICO, o embaixador do Brasil no Senegal e na Gâmbia fala sobre as oportunidades para os empresários brasileiros no Senegal, sobre a criação da área de livre comércio intracontinental e também sobre a importância da África para o governo brasileiro.

Cisternas, do Brasil para o mundo

Cerca de 450 mil famílias brasileiras ainda não tem acesso à água. O programa Cisternas, financiado desde 2003 pelo governo brasileiro, está atentendendo apenas a um pequeno grupo de pessoas por conta da falta de recursos.