Brasil sedia Fórum Mundial de Produtores de Café

O Brasil vai sediar pela primeira vez o Fórum Mundial de Produtores de Café (WCPF, na sigla em inglês). O Evento vai ser realizado nos dias 10 e 11 de julho, na cidade de Campinas, no Estado de São Paulo. O evento acontece em meio a um cenário de queda dos preços do produto no mercado internacional.

Criado em 2017, o evento é um ambiente para discutir a agenda dos produtores do grão, para garantir a sustentabilidade do setor, que compreende 25 milhões de famílias ao redor do mundo.

Atualmente, o setor enfrenta inúmeros desafios, como a sustentabilidade econômica dos produtores, os níveis de produtividade das lavouras e a volatilidade do preço nos mercados internacionais. Além disso, está previsto um aumento de demanda para mais de 50 milhões de sacas nos próximos 15 anos.

“Toda a cadeia, da fazenda à xícara, continuará enfrentando os muitos desafios que se apresentam à produção cafeeira, o que só pode ser feito através da cooperação construtiva entre todos os elos”, comentou Silas Brasileiro, do Conselho Nacional do Café do Brasil.

LEIA TAMBÉM: Liderança brasileira inspira produtores africanos de Café

Durante o evento também serão discutidas ações para aumentar o consumo de café no mundo. O Brasil é uma referência no setor. O consumo de café no país cresce cerca de 3,5% ao ano. O Brasil também é responsável por 16% do consumo global.

Números expressivos

O Brasil também é o maior produtor e maior exportador de café do mundo. As exportações atingiram 34 milhões de sacas na última safra, segundo o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). O volume foi 30,4% maior do que na safra anterior. Só em 2019 já foram exportadas 13 milhões de sacas. O número é o melhor dos últimos 5 anos.

Os cafés diferenciados são os principais responsáveis pelos bons resultados. De janeiro a abril foram embarcados 2,5 milhões de sacas, o que representa um aumento de 43,4% se comparado com o mesmo período do ano passado.

EUA, Alemanha e Japão são os principais consumidores dos cafés diferenciados produzidos no Brasil.

Entre os convidados do WCPF está o economista americano Jeffrey D. Sachs. Ele vai apresentar o estudo sobre a Análise Econômica e Política para melhorar os rendimentos dos pequenos produtores de café.

Grandes expectativas

A primeira edição do WCPF foi realizada em julho de 2017, em Medellín, na Colômbia. “O primeiro fórum despertou a conscientização e o interesse de todas as partes interessadas em garantir a sustentabilidade econômica dos cafeicultores em todo o mundo e encontrar maneiras de ter uma cadeia de valor sustentável, da fazenda à xícara. O segundo Fórum levará esse diálogo ao próximo nível”, espera Juan Esteban Orduz, da Federação de Cafeicultores da Colômbia.

Top 5

Fortaleza recebe primeiro data center da Angola Cables no Brasil

Após instalar dois cabos de fibra ótica em Fortaleza (o Monet, que vai até os Estados Unidos; e o SACS, que se conecta com...

Pesquisa e inovação impactam a agricultura do Brasil

São abundantes as manifestações de lideranças ao redor do mundo em reconhecimento à trajetória virtuosa da pesquisa agropecuária brasileira nos últimos quarenta anos. Graças...

Acordo preferencial eleva exportações sul-africanas ao Brasil

As exportações sul-africanas para o Brasil aumentaram de US$483 milhões em 2017 para US$ 663 milhões em 2018. As informações foram reveladas pela representante econômica...

Bienal do livro do Ceará receberá três autores africanos

Três escritores africanos estarão participando da Bienal Internacional do Livro do Ceará, que será realizada em Fortaleza entre os dias 16 a 25 de...

Fórum Brasil África 2019: Segurança Alimentar em foco

A problemática da fome tem se tornado cada vez mais recorrente, embora ela tenha estado em declínio nos últimos anos, segundo informações da Organização...