Mandela Icônico

É estranhamente adequado que eu escreva estas reflexões no final do dia 10 de fevereiro. Vinte e oito anos atrás, nesta mesma noite, eu fiquei acordada esboçando meu poema “Testament for The First Accused: Nelson Mandela for the Twenty-Seven Years” (Testamento para o Primeiro Acusado: Nelson Mandela por Vinte e sete Anos). O anúncio da iminente libertação de Mandela me impulsionou a documentar o que aqueles vinte e sete anos realmente significaram. Quando ele faleceu em dezembro de 2013 não pareceu um exagero dizer que o mundo inteiro lamentou e novamente refletiu o significado de sua vida. Nós não éramos uma exceção na Universidade Rutgers, onde o legado de Mandela significava tanto que nós, durante os anos 80, fizemos protestos continuados contra o Apartheid que nos tornaram a primeira universidade pública dos Estados Unidos com total desinvestimento. Minha contribuição aos nossos memoriais foi apresentar meu poema. O que me impressionou naqueles dias de preparação foi a dissonância entre a importância de “Mandela”, o prisioneiro político icônico da nossa geração que tinha se manifestado tanto pela sua libertação e a incredulidade de nossa paixão pela geração mais jovem de estudantes para quem, como alguém explicou, “sempre foi o Presidente Mandela”. Certamente: calouros do ano em que Mandela faleceu,foram afinal, todos nascidos no ano em que ele foi eleito presidente. Em suas vidas conscientes ele não foi tão presidente quanto foi o presidente anterior e um político destacado internacionalmente. E assim é o poder do tempo e suas transformações de significado. Sou daquela geração para quem nada sobre a vida de Mandela ou seu falecimento poderia ofuscar sua libertação da cadeia no dia 11 de fevereiro de 1990. Para nós ele sempre foi o prisioneiro político mais importante no mundo. Aqueles vinte e sete anos dos quais nossos estudantes sabiam tão pouco representavam nossas vidas inteiras: meu tempo de vida até aquela data, o tempo de vida de meus irmãos e irmãs e os companheiros estudantes e ativistas e as infâncias de nossos filhos; todos aqueles que se mantiveram vigilantes ao longo dos anos – sem falar na importância que eles tinham tido para o próprio Mandela, sua família e seus colegas e companheiros de prisão. Em 1990 e em 2013 projetei minha mente de volta num exercício de recordação e o processo foi uma vigília pela minha infância e juventude. Os incidentes que lembrei foram as ações daqueles lutando por sua libertação, lutando por muitas libertações no mundo inteiro, incluindo a causa que ele veio a simbolizar. Para mim, a imagem duradoura não é simplesmente a visão de seu punho erguido de boas vindas para saudar o mundo à espera, mas também e primeiramente, o cartaz de seu rosto atrás das grades cortadas que se transformam em velas; sinais duradouros de uma luta que continua e uma esperança de liberdade, que nunca morre.

Os incidentes que lembrei foram as ações daqueles lutando por sua libertação, lutando por muitas libertações no mundo inteiro, incluindo a causa que ele veio a simbolizar. Para mim, a imagem duradoura não é simplesmente a visão de seu punho erguido de boas vindas para saudar o mundo à espera, mas também e primeiramente, o cartaz de seu rosto atrás das grades cortadas que se transformam em velas; sinais duradouros de uma luta que continua e uma esperança de liberdade, que nunca morre.

“O ANÚNCIO DA IMINENTE LIBERTAÇÃO DE MANDELA ME IMPULSIONOU A DOCUMENTAR O QUE AQUELES VINTE E SETE ANOS REALMENTE SIGNIFICARAM”.

Top 5

Fortaleza recebe primeiro data center da Angola Cables no Brasil

Após instalar dois cabos de fibra ótica em Fortaleza (o Monet, que vai até os Estados Unidos; e o SACS, que se conecta com...

Pesquisa e inovação impactam a agricultura do Brasil

São abundantes as manifestações de lideranças ao redor do mundo em reconhecimento à trajetória virtuosa da pesquisa agropecuária brasileira nos últimos quarenta anos. Graças...

Bienal do livro do Ceará receberá três autores africanos

Três escritores africanos estarão participando da Bienal Internacional do Livro do Ceará, que será realizada em Fortaleza entre os dias 16 a 25 de...

Acordo preferencial eleva exportações sul-africanas ao Brasil

As exportações sul-africanas para o Brasil aumentaram de US$483 milhões em 2017 para US$ 663 milhões em 2018. As informações foram reveladas pela representante econômica...

Fórum Brasil África 2019: Segurança Alimentar em foco

A problemática da fome tem se tornado cada vez mais recorrente, embora ela tenha estado em declínio nos últimos anos, segundo informações da Organização...