OMS contribui com a imunização e vigilância de doenças em comunidades da Nigéria

O escritório da Organização Mundial da Saúde no Território da Capital Federal (FCT), em Abuja, capital da Nigéria, apoiou equipes da Atividade Suplementar de Imunização (SIA) e voluntários da imunização de rotina (RI) para imunizar 25.595 crianças com menos de 5 anos com Vacina Oral contra a Pólio (OPV) em 69 assentamentos fronteiriços nos 6 municípios da área.

“A OMS tem sido extremamente útil em nossas instalações. A Organização oferece incentivos durante as nossas sessões de extensão nas favelas, eles treinaram muitos de nossos profissionais de saúde e nós particularmente apreciamos muito sua supervisão de apoio, particularmente no RI e na vigilância, nós aprendemos muito com a OMS”, afirma Margaret Okpara, enfermeira-chefe no Dutse Alhaji PHC. 

Os estabelecimentos de saúde baseados em favelas, na maioria das vezes, testemunham um grande afluxo de pacientes, pois os serviços geralmente são gratuitos ou estão disponíveis a preços subsidiados. Na Dutse Alhaji PHC, por exemplo, estima-se que 200 bebês vêm para avaliação e RI diariamente.

A Atividade Suplementar de Imunização (SIA) complementou o RI nos últimos 12 meses. Um total de 17.841 pessoas foram imunizadas com OPV em 199 assentamentos nômades e 81.521 foram imunizados com OPV em 165 assentamentos de favelas nos 6 municípios de área da FCT. Algumas das favelas incluem Mpape, Dutse Alhaji, Idu Karmo, Dei-Dei e Dakwa.

De acordo com Florence Chinweike, enfermeira-supervisora ​​do Departamento de Saúde do Conselho de Área de Bwar, a maioria das instalações baseadas em favelas encontram dificuldades para seu funcionamento. “Nossas PHCs precisam de mais financiamento para o alcance e mais de nosso pessoal precisa ser treinado. Também precisamos de mãos mais qualificadas no convés e mais equipamentos de qualidade para trabalhar ”, diz. 

No Centro de Atenção Primária à Saúde de Aso Pada, a OMS forneceu apoio e assistência para administrar as atividades do RI. Um total de 3.833 crianças receberam imunização de janeiro a junho de 2019 para os seguintes antígenos (vacinas) – vacina contra sarampo, vacina inativada contra poliomielite (IPV), vacina contra Bacillus Calmette – Guérin (BCG), OPV pentavalente e hepatite B em diversas ocasiões, dependendo a idade deles. Entre 40 e 60 crianças participam de sessões semanais de imunização na instituição e de 15 a 20 crianças diariamente.

A organização tem trabalhado para promover a cobertura universal de saúde em favelas, áreas rurais e urbanas. No total, existem 39.550 Centro de Atenção Primária à Saúde (PHC) na Nigéria, dos quais muitos servem comunidades carentes, incluindo favelas, e a OMS tem trabalhado em estreita colaboração com esses centros PHC, em áreas rurais e urbanas da FCT e além. Duas vezes por semana, a equipe da OMS ajuda os profissionais de saúde da APS durante os percursos em aldeias e favelas.

“Durante nossos treinamentos, ajudamos os profissionais de saúde a imunizar pelo menos 20 crianças todos os dias e um total de aproximadamente 40 crianças toda semana”, afirma Dr. Fureratu Zakari, Coordenador Estadual da FCT, da OMS Nigéria.

“Nos últimos 6 meses, a OMS construiu a capacidade de mais de 100 profissionais de saúde na Área de Governo Local de Bwari (LGA) e apoiou quase 24 sessões de assistência no mesmo período. Acreditamos que, ao construir as capacidades dos profissionais de saúde em comunidades carentes, os índices de saúde aumentarão e os moradores dessas comunidades estarão mais conscientes das doenças evitáveis ​​por vacinação e serão mais bem informados sobre as medidas corretas a serem tomadas. Todos esses são passos para alcançar a cobertura universal de saúde – para todos em todos os lugares ”, completou Dr Fureratu Zakari.

Top 5

Fortaleza recebe primeiro data center da Angola Cables no Brasil

Após instalar dois cabos de fibra ótica em Fortaleza (o Monet, que vai até os Estados Unidos; e o SACS, que se conecta com...

Pesquisa e inovação impactam a agricultura do Brasil

São abundantes as manifestações de lideranças ao redor do mundo em reconhecimento à trajetória virtuosa da pesquisa agropecuária brasileira nos últimos quarenta anos. Graças...

Acordo preferencial eleva exportações sul-africanas ao Brasil

As exportações sul-africanas para o Brasil aumentaram de US$483 milhões em 2017 para US$ 663 milhões em 2018. As informações foram reveladas pela representante econômica...

Bienal do livro do Ceará receberá três autores africanos

Três escritores africanos estarão participando da Bienal Internacional do Livro do Ceará, que será realizada em Fortaleza entre os dias 16 a 25 de...

Fórum Brasil África 2019: Segurança Alimentar em foco

A problemática da fome tem se tornado cada vez mais recorrente, embora ela tenha estado em declínio nos últimos anos, segundo informações da Organização...