Segurança Alimentar: FAO pede mais participação japonesa na África

A FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) quer incentivar a parceria do Japão com países africanos como forma de melhorar a nutrição. De acordo com o relatório State of Food and Security da FAO em 2019, o número de pessoas com fome no mundo é de 821 milhões. Só a África responde por 31% do número global de pessoas com fome – 251 milhões de pessoas. 

Para o diretor geral da organização, Qu Donyu, é preciso que o continente africano reforce o combate à fome e à nutrição aproveitando as tecnologias inteligentes, a maquinaria agrícola e o marketing do Japão. Qu Donyu participa da sétima Conferência Internacional de Tóquio sobre Desenvolvimento Africano (TICAD7, em sua sigla em inglês), que acontece esta semana, em Yokohama, Japão.  Durante a conferência foram discutidos assuntos referentes a segurança alimentar, agricultura e a implementação de programas a fim de incentivar o crecimento do continente. 

Qu Donyu falaou destacou algumas áreas com potencial de colaboração, que incluem os padrões de segurança alimentar e nutricionais do país além da cultura de dietas de alimentos saudáveis.  Ele também agradeceu o que chamou de colaboração frutífera entre FAO e o Japão na África. “Essa cooperação levou ao desenvolvimento de cadeias de valor eficientes e inclusivas de arroz, a uma melhor medição da perda e desperdício de alimentos nas indústrias alimentícias e ao fortalecimento de pequenas e médias empresas”.

Uma das iniciativas propostas pretende dobrar a produção de arroz para 50 milhões de toneladas até 2030. O anúncio dessa iniciativa foi feito pelo primeiro-ministro japonês Shinzo Abe que anunciou que a implementação ficará a cargo da Associação Africana de Sasakawa (SAA) em parceria com a JICA.

Agricultura como oportunidade para juventude

Durante o evento também foi lançada o projeto Flagship Initiative to Accelerate Youth Employment in Agriculture and Agribusiness in África (FIAYEA). É uma iniciativa para acelerar o emprego dos jovens na agricultura e no agronegócio na África. A África tem a população mais jovem do mundo, com mais de 600 milhões de jovens no mercado de trabalho, e altas taxas de desemprego.


Foto: Timor-Leste. UNO/Martine Perret

“Quando falamos sobre o potencial do capital humano na África, estamos nos referindo particularmente aos jovens”, disse o diretor-geral da FAO, Qu Dongyu. “Espera-se que os agronegócios africanos criem um mercado de US $ 1 trilhão em 2030, para que a agricultura e o agronegócio tenham um potencial inestimável e inexplorado para enfrentar o desafio do desemprego jovem”.

A FIAYEA é uma parceria entre a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI), a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e a União Africana (UA).

O evento ocorre desde 1993, e é organizado pelo governo japonês juntamente com a ONU, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Banco Mundial e Comissão da União Africana.

Chico Carneiro, entre Amazônia e Moçambique, tudo vira filme

O cineasta brasileiro Chico Carneiro saiu do Brasil, mais precisamente da região amazônica, atravessou o oceano e foi parar em Moçambique, não apenas fazendo filmes, mas vivendo cinema.

Fórum Brasil África reunirá autoridades do governo brasileiro e de países africanos

O vice presidente brasileiro Hamilton Mourão, assim como diversas autoridades de governos africanos estarão presentes no Fórum Brasil África 2019. O fórum acontece nos dias 12 e 13 de novembro em São Paulo, e vai reunir também representantes do setor privado e da academia além de potenciais investidores. Em sua sétima edição, o tema do evento será “Segurança alimentar: caminho para o crescimento econômico”.

Brasil coopera com o Zimbábue para desenvolver cultura do algodão

O Brasil ocupa lugares de destaque tanto na produção como na exportação de algodão, atraindo diversos parceiros interessados em fortalecer o setor algodoeiro. O mais recente país a buscar o apoio do Brasil é o Zimbábue. Foi assinado um acordo entre os dois países para garantir capacitação e também a transferência de tecnologias brasileiras em algodão para o país africano.

Ipea discute oportunidade de negócios entre Brasil e África

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estará presente no Fórum Brasil África 2019 promovendo uma discussão sobre o potencial de negócios entre Brasil e os países africanos. Em um side event chamado “Desafios para o aprofundamento da cooperação entre o Brasil e os países africanos”, o instituto promoverá um debate com autoridades e representantes do setor econômico.

O futuro das relações entre Brasil e África é promissor, segundo Hamilton Mourão

"As relações com a África são e serão prioritárias para o Brasil e o para os brasileiros", declarou o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, durante a cerimônia de abertura do Fórum Brasil África 2019.