Home Reportagens

Reportagens

José Graziano: “governos devem ir além da produtividade”

“Os governos precisam investir em programas para segurança alimentar”, afirma José Graziano. O ex diretor-geral da FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) afirma que o foco dos governos é voltado muitas vezes apenas na produtividade, o que exclui a garantia de acesso à água e à alimentação. “Forneça condições saudáveis e melhoramos a produtividade”, prova.

Fadel Ndiame: “Os pequenos produtores são o coração do progresso da nossa economia”

O centro do progresso da economia africana devem ser os pequenos produtores, afirma Fadel Ndiame em entrevista à ATLANTICO. Ele é representante da União Africana e conselheiro sênior da presidência de parcerias estratégicas AGRA (Gwroing África’s Agriculture), uma organização liderada por africanos para investir na agricultura do continente.

“África está no centro de nossa ação”, aponta economista do FIDA

“A África está no centro de nosso interesse e nosso trabalho”. A afirmação, de Paolo Silveri, economista regional líder do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) para América Latina e Caribe, demonstra a importância do continente africano para as ações desenvolvidas pela agência da ONU, que apoia a agricultura em países em desenvolvimento.

FARA acredita na ciência para o desenvolvimento

Responsável por coordenar e defender a pesquisa agrícola na África, o Fórum de Pesquisa Agrícola da África (FARA) atua como braço técnico da Comissão da União Africana. A organização aposta em desenvolvimento e tecnologia para avançar a agricultura no continente. “Não há país que tenha rompido a barreira da segurança alimentar sem adotar a ciência”, afirma Yemi Akinbamijo, diretor da instituição.

Os países do BRICS são estratégicos para a África, aposta executivo do Afreximbank

Promover negócios na África é o principal foco do Afreximbank. Em entrevista a Hippolyte Fofack, Hippolyte Fofack, economista-chefe e diretor de pesquisa e cooperação do banco, falou sobre desafiar o status quo e incentivar o desenvolvimento do continente em parceria com países do BRICS.

Ministro Sul Africano fala sobre cooperação da África para desenvolvimento

“Nós temos uma democracia jovem. A última a ser libertada. Uma das coisas mais importantes que estamos preocupados em fazer é aprender com os que vieram antes de nós ", declara Mcebisi Skwatsha, vice-ministro de agricultura da África do Sul. Em entrevista para a ATLANTICO, ele falou sobre os desafios para seu país e o que foi aprendido com o modelo brasileiro. Ele também destacou a importância da cooperação entre países africanos. A entrevista foi concedida durante o Fórum Brasil África 2019, que aconteceu em São Paulo no mês de novembro.

ODS: Tang Shengyao, da FAO fala sobre o papel da Cooperação Sul-Sul

Tang Shengyao, diretor do Escritório de Cooperação Sul-Sul e Triangular da FAO, falou em entrevista à ATLANTICO sobre as estratégias de colaboração para atingir as metas da agenda 2030 da ONU. O plano indica os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) - divididas em 169 metas - para erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, dentro dos limites do planeta. Ele também destacou o papel do Brasil no contexto da Cooperação Sul-Sul.

Standard Bank e atração de investimentos para a África, segundo Natália Dias

Com sede na África do Sul, o Standard Bank tem um missão: levar mais investidores para o continente africano. Natalia Dias, CEO do Standard Bank no Brasil, falou com a ATLANTICO sobre a presença do banco nos grandes mercados financeiros e como é feita a atração de multinacionais para a África. Também falou sobre o incentivo para o setor privado e o papel do banco nesse cenário.

“Cooperação trilateral é o caminho para o desenvolvimento”, segundo economista do IBRAF

O economista do Instituto Brasil África (IBRAF), Igor Lucena, aponta a colaboração trilateral como um dos meios para avançar no desenvolvimento da África. “Estamos trabalhando de uma maneira trilateral que une governos, é claro, mas temos aqui empreendedores, setor privado e também instituições internacionais que juntas criam um vínculo que ajuda as economias a se desenvolverem de maneira mais internacional.” Ele acredita que, criando novas oportunidades econômicas, os países africanos poderão se desenvolver e assim atingirem a segurança alimentar. O economista destaca a importância de eventos como o Fórum Brasil África para estimular discussões a respeito das oportunidades do continente africano.